Como escolher uma escola? Dicas para avaliar o trabalho pedagógico

Como escolher uma escola? Dicas para avaliar o trabalho pedagógico

Como escolher uma escola? Dicas para avaliar o trabalho pedagógico

Quando visitamos uma escola, com a difícil tarefa de escolher a instituição que nos ajudará com a formação dos nossos filhos, estabelecemos alguns critérios para tomar a decisão mais acertada possível.

Esses critérios envolvem quesitos tangíveis, como estrutura física do colégio, número de alunos, fácil acesso viário, nota mínima estabelecida para aprovação sem recuperação, valor da anuidade, horários, possibilidade para o curso bilíngue ou atendimento em horário integral.

Além desses, acrescentamos aos nossos critérios, quesitos subjetivos, por exemplo: um ambiente agradável, o respeito entre os funcionários, a segurança, a gentileza e a eficiência no serviço que estamos experimentando.

Sim! Trata-se de uma tarefa árdua. Mas, não para por aí. Tudo que listamos acima apenas ampara um trabalho pedagógico, aquele que efetivamente iremos contratar. É o trabalho pedagógico que fará os nossos filhos avançarem e conhecerem.

E como avaliar o trabalho pedagógico, se ele está dentro da sala de aula, refletido na atuação do professor? Como avaliar o trabalho pedagógico, se os livros didáticos são tão parecidos? Como avaliar o trabalho pedagógico, se meu filho nem estuda na escola ainda?

Vamos aqui, tentar ajudar. Mas antes, precisamos retomar duas verdades. Primeira: não existe a melhor escola. Existe a melhor escola para o meu filho! Segunda: a opção por uma escola não é para sempre. Quando você entender que o cuidado com o desenvolvimento do seu filho não corresponde às suas expectativas, você poderá procurar uma nova opção. Então vamos lá!

#Dica1

Pense no seu filho a longo prazo. Para você, o que é importante na formação do seu filho? Deixamos, abaixo, uma lista com algumas sugestões. Você pode acrescentar outros itens.

  • Aprender a pensar.
  • Saber argumentar.
  • Ser autônomo.
  • Ser responsável pela própria aprendizagem.
  • Reconhecer o valor do conhecimento.
  • Relacionar-se na sociedade com ética e valores.
  • Interagir com o meio ambiente de forma consciente.
  • Possuir um rico repertório cultural.
  • Perceber o conhecimento fora dos muros da escola.
  • ___________________________________________________________________
  • ___________________________________________________________________

            A clareza sobre o filho que queremos formar é extremamente importante para avaliarmos o trabalho pedagógico de um colégio. Durante a visita, podemos perguntar, por exemplo, em quais instâncias é incentivada a autonomia do aluno. Uma iniciativa que promove a autonomia, entre tantas que poderíamos citar, é quando o próprio aluno é responsável por anotar sua tarefa. Claro, ele vai esquecer de anotá-la ou fará a anotação incompleta. Entretanto, quando as tarefas são enviadas no aplicativo do celular dos pais, acabamos por não permitir que a criança amadureça. O erro será o tema da nossa próxima dica, que estabelece uma relação entre autonomia e responsabilidade pelo próprio aprendizado.

#Dica2

As atividades são sempre corrigidas pelo professor? Se a resposta for sim, cuidado! É importante que o aluno, junto com seus pares, reflita sobre a sua produção, discuta, argumente, aceite ou rejeite hipóteses. O papel do adulto não é validar ou não, imediatamente, cada resposta. Essa atitude traz consigo um recado: sozinho você não é capaz.

Uma proposta pedagógica que quer tornar o aluno responsável pela própria aprendizagem, entende que o trabalho do professor é perceber o que o aluno já sabe através dos erros que comete. O desafio do seu trabalho é fazer o aluno avançar a partir dos seus erros, motivando-o para que persista na busca do conhecimento.

Verifique, em sua visita, como são realizadas as produções textuais. É importante que a prática habitual seja produzir o texto em versões intercaladas com a correção do professor. Assim, o aluno adquire hábitos de escritor. Receber a redação corrigida e guardá-la na mochila, contribui pouco para o avanço dos meninos.

#Dica3

Busque pistas nos trabalhos que são divulgados. Durante as visitas, você vai ouvir discursos parecidos, mas que são concretizados de maneiras bastante diferentes.

Trabalhos mais reflexivos ou menos. Propostas mais ricas ou menos. Com um olhar um pouco mais atento, é possível perceber as diferenças.

Pense nas propostas de Artes: uma figura copiada para todos os alunos pintarem da mesma cor versus esculturas de animais inventados pelas crianças, construídas com materiais diversos. É possível perceber a diferença?

Redes sociais e sites das instituições são grandes aliados nessa hora. Podemos conseguir um outro retrato através das famílias que já participam daquele espaço. Ouvir os relatos com a criticidade que exige cada uma das situações, nos farão colocá-las na perspectiva dos nossos objetivos e agregarão informações para a nossa tomada de decisão.

            #Dica4

Peça para ver uma prova. Uma coleção didática é densa para ser avaliada folheando suas páginas em poucos segundos. Nossa sugestão é avaliar uma prova. Observe a medida nas quais as questões prezam pela reflexão e pela memorização; se os textos são aqueles que serão encontrados na vida real ou são textos muito simplificados; se as questões apresentam uma relação com fatos do mundo atual.

Pense nas perguntas de Geografia: O que é desertificação? versus Leia a reportagem abaixo e, em seguida, explique como a desertificação interferiu nos aspectos sociais e econômicos da cidade citada. É possível perceber a diferença?

            #Ficaadica

Quando inicia o ano letivo, é importante que os pais acompanhem de perto os afazeres escolares. Enquanto verifica se as tarefas estão sendo realizadas com qualidade, observar se as propostas são desafiadoras; participar dos eventos e reuniões de pais; encontrar-se individualmente com a coordenação e com os professores.

Quanto mais a família participa da vida escolar, mais entende como a proposta pedagógica contribui para o desenvolvimento do seu filho.

Aqui no Colégio Luce Prima, as portas estão abertas para conversarmos sobre nossa proposta pedagógica e apresentar nossos projetos. Aguardamos sua visita!

Lilian Ferreira – Pedagoga, Licenciada em Matemática, Coordenadora da área de Matemática e do Ensino Fundamental 2 no Colégio Luce Prima

Luce Prima

Sem descrição. Por favor, atualize seu perfil

DEIXE UM COMENTÁRIO

Encontre-nos

     

    Rua José Augusto dos Santos, 145 – Floradas São José (Jd. Satélite) São José dos Campos – São Paulo

Entre em contato

    (12) 3939-2347
    (12) 3931-2690

    secretaria@luceprima.com.br